sábado, 21 de janeiro de 2017

Concurso Bombeiros SE 2017: Expectativa de edital para nível médio !

Resultado de imagem para bombeiros sergipe
Com a chegada do ano de 2017, cresce a expectativa de abertura do concurso dos Bombeiros de Sergipe (Concurso Bombeiros SE 2017). O certame vem sendo aguardado desde quando foi anunciado no primeiro trimestre do ano passado pelo secretário de segurança pública, João Batista Santos Junior, durante a formatura militar geral no quartel central da corporação.
O nosso governador é muito inteligente e sensível. Ele tem conhecimento do valor do Corpo de Bombeiros e entendeu a importância urgente da realização de concurso público, de um melhor fluxo nas promoções e aprovação do condigo de incêndio que irá capitanear mais recursos para o Estado e para a própria Corporação”, disse João Batista na época do anúncio.

Poder Executivo tem defasagem de 230.283 servidores !

Poder executivo
Consta no levantamento de agosto de 2016 que o Poder Executivo apresenta nada menos do que 230.283 postos vagos em todo o país e que precisam ser preenchidos por meio de novos concursos públicos.

Para o secretário-geral da Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), Sérgio Ronaldo da Silva, esta situação é bem crítica. "Um dos problemas já constatados é que há situações em que um servidor faz o serviço de três e isso tem gerado muitos afastamentos por estresse e lesão de esforço repetitivo", explicou Sérgio.

O secretário também enfatizou que ao invés de recompor a força de trabalho, o Governo Federal tem deixado essa situação na "gaveta". Por isso, a confederação sempre pleitea os direitos dos servidores e um dos itens que vem sendo questionando é a abertura de novos concursos públicos para sanar este problema generalizado. Ele explicou que há órgãos com situação crítica em seus quadros e que necessitam contratar profissionais urgentemente.

PM/RJ: número de vagas para mulheres gera polêmica !


PMERJ
Com inscrições encerradas em 15 janeiro e provas programadas para começar na próxima semana, o novo concurso da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PM/RJ) para o Curso de Formação de Oficiais (CFO) tornou mais árdua a tarefa de mulheres que buscam um lugar no efetivo da corporação. Das 50 vagas em disputa, apenas cinco são destinadas a concorrentes do sexo feminino. A limitação vem gerando questionamentos, já que contraria as regras do processo seletivo anterior, realizado em 2014, quando não houve divisão no número de postos.

Diretor da Focus Concursos, escola especializada em preparação para processos seletivos, Daniel Sena, que também é advogado e especialista em direito público, vê a decisão da PM/RJ como “desproporcional e desnecessária”.

“Apesar de caminharmos para uma igualdade de tratamento nos cargos públicos, alguns concursos fazem esse tipo de restrição na quantidade de cargos destinados as mulheres. O Supremo Tribunal Federal já consolidou o entendimento de que é possível restringir o acesso a um cargo público caso haja previsão em lei e necessidade da restrição para o bom desenvolvimento da função. No caso das vagas para oficiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro, a distribuição me parece desproporcional ao reservar apenas 10% das vagas para as mulheres em relação à quantidade destinada aos homens”, afirma.

Sena lembra que a resistência à figura feminina é maior quando se fala em cargos militares. “Existe uma justificativa de que a função militar é desempenhada melhor pelos homens em razão da necessidade de vigor físico e em razão da maior parte da tropa ser formada por homens. Essa justificativa tem se provado desarrazoada ao longo dos anos em virtude das diversas mulheres que tem ocupado cargos de comando em grandes corporações, inclusive nas instituições militares”, diz.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Saúde/RO: definida banca para concurso de 1.136 vagas !

Governo
O Governo de Rondônia definiu, no último dia 12, por meio de publicação em diário oficial, o nome da banca organizadora de um grande concurso público que será realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau/RO) para o preenchimento de nada menos do que 1.136 vagas, distribuídas por diversos cargos. A empresa escolhida é a Fundação Funrio. Com isto, a publicação do edital de abertura de inscrições está prevista para ocorrer em breve. Salários e exigências dos cargos ainda serão confirmadas, com a liberação do documento.
Já está certo que a seleção será para suprir pessoal nas unidades estaduais de saúde, nos municípios de Porto Velho, Buritis, Cacoal, São Francisco do  Guaporé, Extrema e Ariquemes.
A seleção será para preenchimento de vagas em cargos definidos pela lei 3.503, de 30 de janeiro de 2015. A lei cria oportunidades para as seguintes carreiras, na área de saúde: administrador hospitalar, agente de serviço de saúde, assistente social, auxiliar de enfermagem, auxiliar de serviços de saúde, biólogo, biomédico, cirurgião dentista, cirurgião dentista buxo-maxilo-facial, enfermeiro, engenheiro químico, engenheiro sanitário, farmacêutico, farmacêutico-bioquímico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, médico veterinário, nutricionista, psicólogo, sanitarista, técnico em enfermagem, técnico em equipamentos e aparelhos médicos, técnico em farmácia, técnico em hemoterapia, técnico em higiene dental, técnico em histologia, técnico em laboratório, técnico em nutrição e dietética, técnico em órtese e prótese, técnico em ortopedia, técnico em química, técnico em radiologia, técnico em radioterapia, técnico em reabilitação, técnico em registro e informações em saúde, técnico em serviços de saúde, técnico em vigilância em saúde e terapeuta ocupacional.     
Já nas áreas operacionais: administrador, agente de serviços técnicos, agente em atividade administrativa, agente em serviços gerais, analista de sistemas, arquiteto urbanista, auxiliar em atividades administrativas, auxiliar em serviços gerais, auxiliar em serviços técnicos, auxiliar oficial de manutenção, contador, datilografo, desenhista/cadista, economista, engenheiro civil, engenheiro de segurança do trabalho, engenheiro eletricista, engenheiro industrial, engenheiro mecânico, estatístico, físico, geógrafo, mecânico de aeronave, motorista, oficial de manutenção, operador de máquina pesada, sociólogo, técnico em agrimensura, técnico em agropecuária, técnico em assuntos educacionais, técnico em comunicação social, técnico em contabilidade, técnico em informática, técnico em mecânica, técnico em serviços de engenharia, técnico em segurança do trabalho, vigilante e zootecnista.  

Concurso TCE PE 2017: Edital é anunciado! Até R$17mil !

Resultado de imagem para tce pe
Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco já se movimenta para divulgar a abertura do seu edital de concurso público (Concurso TCE PE 2017). Sem realizar uma seleção desde o ano de 2004, há uma expectativa para que, enfim, o concurso seja publicado ainda neste ano.
edital TCE/PE, conforme informações do órgão, tem previsão de ser publicado no segundo semestre para os cargos de Técnico Auditor Fiscal das Contas Públicas e Auditor Fiscal das Contas Públicas, ambos com requisito de nível superior. Os salários chegam a R$14.941,86 para Técnico e R$ 17.106,96 para Analista. Lembrando que o concurso também poderá contar com vagas para os cargos administrativos, mas neste caso específico, ainda não há a confirmação oficial.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Seduc/MT: novo concurso abrirá 5.748 vagas !

SEDUC
Uma boa notícia para quem aguarda o concurso da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer do Mato Grosso (Seduc/MT). O Governo anunciou que serão abertas 5.748 vagas e não apenas para professor, como a previsão inicial, mas ainda para apoio administrativo e técnico administrativo.

Do total de oportunidades, 2.617 serão para professor de educação básica (nível superior), 355 para técnico administrativo (médio) e 2.776 para apoio administrativo (fundamental). Os salários iniciais não foram revelados.

No momento, o órgão espera um parecer da Secretaria de Estado de Gestão (Seges/MT) para que possa avançar com os preparativos do certame. Outra informação é de que o edital do concurso da Seduc/MT deve ser lançado em breve, mais provavelmente ainda no primeiro semestre deste ano.

Vale ressaltar que a realização deste processo seletivo já consta no orçamento de 2017. O documento assegura o valor de R$ 5,9 milhões para a contratação da banca organizadora.

Assim que a Seges der um parecer, a Seduc poderá iniciar o processo de escolha da banca organizadora e, logo após a sua contratação, é que será definido plenamente o cronograma contendo as datas de lançamento do edital, do período de inscrições e da aplicação das provas.

O secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, informou que a abertura do concurso faz parte do programa Pró-Escolas, que abrange o desenvolvimento de ações nas áreas de ensino, estrutura e inovação, com foco na qualidade do ensino e combate à evasão escolar. 

No site do Governo do Mato Grosso, consta que o secretário Marrafon ressaltou o seguinte: “As transformações que visam à melhoria dos índices educacionais exigem a composição de um quadro fixo de docentes e consequente redução da alta rotatividade de professores contratados. A Seduc busca, desta forma, fortalecer e valorizar a formação continuada dos educadores e atender às demandas da comunidade escolar com mais eficiência”.

A expectativa é de que os futuros servidores contratados pelo concurso da Seduc/MT sejam nomeados no decorrer deste ano. 

Mensagem difamatória em grupo de WhatsApp gera indenização por danos morais !

Mensagem difamatria em grupo de WhatsApp gera indenizao por danos morais
Na ultima sexta-feira (13/01/2017), a 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, no julgamento dos autos de Apelação de nº 1111.617-17.2015.8.26.0100, decidiu em conformidade com o voto do relator, manter a sentença do juízo de 1º instância, que condenou o réu ao pagamento de indenização no valor de R$ 10.000,00 à autora da ação, por entender que o réu de maneira injustificada teve o intuito de prejudicar a reputação da autora, ao enviar em um grupo de WhatsApp, onde participavam conhecidos de ambos, mensagens e áudios com conteúdo de cunho sexual em relação a autora.
Segundo o relator do acórdão, Desembargador Silvério da Silva:
dano moral é evidente, pois é situação que extrapola o dever de urbanidade e respeito à intimidade da pessoa, ainda que tais fatos se reputassem verdadeiros, pois se trata da intimidade da autora, e que não pode ser divulgado sem seu consentimento”.
A autora apresentou como provas as impressões das telas dos smartphones que receberam as mensagens. As testemunhas e os áudios foram ouvidos em audiência.

Campanha pede fim do IPVA e diz que cobrança é indevida; advogado discorda !

Voltou a circular nas redes sociais neste começo de ano uma campanha online que pede o fim do IPVA (Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e alega que a cobrança do imposto é indevida. A petição foi criada, originalmente, em março de 2013.
A campanha (http://zip.net/bftChq - link encurtado e seguro) pede a adesão de 300 mil pessoas para que seja enviada à Presidência da República e aos órgãos legislativos e de trânsito. Até a manhã desta quarta-feira (18), havia mais de 213 mil assinaturas.
Para falar sobre o assunto, o UOL ouviu o especialista Linneu de Albuquerque Mello, professor de direito tributário da FGV (Fundação Getulio Vargas) no Rio de Janeiro. Para ele, não há dúvidas de que a cobrança do imposto é legal e está prevista na Constituição, no artigo 155 ("Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir impostos sobre: (...) III - propriedade de veículos automotores").
O que pode ser discutido, segundo Mello, é se a cobrança é justa ou não. "Há quem defenda que o IPVA sobrecarrega o custo de quem tem automóvel. Porém, do ponto de vista legal, os Estados têm o direito de cobrar pela propriedade desses veículos", afirma.
Veja a seguir três argumentos da campanha online contra o IPVA e o que diz o especialista sobre eles.

1. Cobrança é indevida

Um dos argumentos da petição é que os automóveis já são tributados como bens de consumo pelo ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e pelo IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).
Sendo assim, não poderiam ser tributados também como se fossem um patrimônio, com a cobrança do IPVA. "O objeto de tributação ou é bem de consumo ou não", diz o texto.
No entendimento do professor da FGV, o argumento está equivocado. Os automóveis são, ao mesmo tempo, um bem de consumo e um patrimônio do comprador. "Existe um documento que diz quem é o proprietário daquele bem", afirma. Por isso, podem ser tributados das duas formas, diz ele.
Mello afirma, ainda, que o único imposto cobrado diretamente do dono do veículo é o IPVA. "O ICMS e o IPI são recolhidos do fabricante e do revendedor. É claro que eles são repassados no preço final, mas não é correto dizer, do ponto de vista tributário, que é o proprietário quem paga esses impostos."

2. IPVA x IPTU

A petição faz uma comparação entre a propriedade de veículos e a de imóveis. Segundo a campanha, se fosse válido cobrar imposto sobre o consumo de algo que é tributado também como patrimônio, haveria incidência de ICMS e IPI na venda de um imóvel, que é tributado pelo IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).
Afonso Ferreira
Do UOL,em São Paulo

Concurso TJ/PR: saiu edital com 100 vagas para técnico !


TJ
Foi divulgado nesta quarta-feira (18) o edital do novo concurso do TJ/PR (Tribunal de Justiça do Estado do Paraná). A seleção vem com o objetivo de preencher 100 vagas na função de técnico judiciário, sendo cinco reservadas a pessoas com deficiência e dez a negros.

Destinada a profissionais com ensino médio completo, a carreira tem remuneração inicial de R$ 5.516,51, mais os benefícios de auxílio-alimentação e auxílio-saúde.

Do total de postos em disputa no concurso do TJ/PR, 40 são para atuação em foros da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, enquanto as outras 60 oportunidades estão distribuídas entre cidades do interior paranaense. Outros detalhes podem ser conferidos no edital, disponível entre os anexos da notícia.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

TRT/GO fará concurso para técnico e analista !

Trainee industrial
Um novo concurso público será realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT 18), que tem jurisdição no Estado de Goiás. No último dia 13 de janeiro, foi feito o primeiro passo para a abertura do certame, trata-se de da publicação da Resolução Administrativa 175/2016 do Pleno do tribunal que autoriza a seleção.

Ao todo, o processo seletivo terá seis oportunidades imediatas e mais formação de cadastro reserva (CR) de pessoal. As chances serão para os cargos de técnico e analista judiciários.

Quem possui ensino médio e/ou curso técnico poderá pleitear a colocação de técnico nas áreas de saúde bucal (4 vagas) e enfermagem (1). Enquanto os profissionais com nível superior estarão aptos para analista nas especialidades de enfermagem (1), estatística (1), tecnologia da informação (CR) e administração (CR).

Consta no site do tribunal que os salários iniciais oferecidos aos futuros servidores serão de R$ 6.167,99 para técnico e R$ 10.119,93 para analista, sem incluir os benefícios disponibilizados.

O próximo passo para a realização do concurso do TRT/GO será a criação da comissão que ficará com a responsabilidade de organizar e supervisionar todas as suas etapas. Logo após, o grupo se reunirá para discutir a contratação da banca organizadora.

De acordo com informações da Secretaria de Orçamento e Finanças do TRT/GO, as despesas para o lançamento doconcurso estão inclusas na dotação orçamentária do programa Apreciação de Causas na Justiça do Trabalho, suplementado por crédito adicional do Orçamento de 2017.

Sefaz/BA: concurso de fiscal deve sair este ano !

SEFAZ
Está previsto para ser realizado, ainda no decorrer deste ano, o novo concurso público da Secretaria Estadual da Fazenda da Bahia (Sefaz/BA) para o cargo de auditor fiscal de rendas . A intenção inicial era dar início ao certame no decorrer de 2016, o que acabou não se concretizando em virtude do momento de contenção de gastos pelo qual o país tem passado, em decorrência da crise econômica. Porém, o certame é considerado imprescindível, em virtude do grande período sem contratações para o cargo. A última seleção ocorreu há 12 anos.
A previsão é de 60 vagas e para concorrer é necessário possuir formação de nível superior, com remuneração inicial de R$ 8.456,19, para jornada de trabalho de 30 horas semanais. Porém, com os complementos, os vencimentos podem chegar a aproximadamente R$ 18 mil.

Concurso Anterior

No último concurso para o cargo, realizado em  2004, a oferta também foi de 60 oportunidades, sendo 48 para a área de administração, finanças e controle interno e 12 para tecnologia da informação.
Na ocasião, para concorrer foi necessário possuir formação nas áreas de administração, ciências econômicas, ciências contábeis, direito, engenharia, informática, sistemas de informação, ciências da computação ou processamento de dados.
A banca organizadora foi a Fundação Carlos Chagas e a seleção contou com três provas, sendo duas objetivas sobre conhecimentos gerais e conhecimentos específicos e  uma dissertativa de conhecimentos específicos.
A primeira prova objetiva, de conhecimentos gerais, comum para as duas áreas, foi composta de 60 questões, sendo dez de língua portuguesa, 15 de direito constitucional e administrativo, dez de direito tributário, 15 de contabilidade geral e pública e dez de estatística.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Danos morais: as 28 causas !

Danos morais as 28 causas
O roteiro era o dos sonhos: praia, sol e diversão. Tudo isso em Cancun, no México. A viagem de férias de um casal, no entanto, não acabou como planejada e o retorno ao Brasil virou um verdadeiro pesadelo.

Os dois foram informados de que o vôo, direto para o Brasil, estava lotado. Após uma noite no aeroporto, o casal embarcou em voo com conexão para os Estados Unidos. Mas, como um deles não tinha visto para entrar naquele país, teve de ficar detido em uma sala minúscula no aeroporto destinada àqueles que não possuem a documentação exigida.
O casal foi separado por horas, sem notícias um do outro. Esse transtorno resultou na condenação por danos morais no valor de R$ 60 mil, em decisão do Superior Tribunal de Justiça.
A condenação por overbooking segue a jurisprudência do STJ e figura entre as causas mais comuns que provocam processos por danos morais. Além disso, clonagem de cartão de crédito ou obtenção de senha de forma fraudulenta, protesto indevido, recusa em cobrir tratamento médico hospitalar, fraturas por quedas em vias públicas por problemas de má conservação e falta de iluminação ou má sinalização também estão no mapeamento.
O levantamento que mostra as 28 causas mais comuns de condenação por dano moral no Brasil foi feito pelo escritório Imaculada Gordiano Sociedade de Advogados, com sede em Fortaleza. A pesquisa usou como base mais de 300 decisões dos Tribunais de Justiça de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraná e também no Superior Tribunal de Justiça.
Segundo a advogada Imaculada Gordiano, os tribunais estaduais costumam tratar o tema com mais cautela e lembra que até falava-se em “indústria do dano moral”, o que diminuiu. Além disso, Imaculada lembra que como se trata de questão subjetiva, nem todo ato ilícito pode ocasionar dano moral.
A consequência de um ato ilícito que provoca danos psicológicos na vítima é financeira. O valor da grande maioria das condenações varia entre R$ 5 mil e R$ 20 mil como no caso de protesto indevido, desvio de dados pessoais de clientes por trabalhadores de empresas de telefonia ou TV a cabo e compra de produtos que tenha, defeitos e que impedem o seu uso após a compra.
Segundo especialistas, o maior valor de compensação por danos morais é de R$ 100 mil, como no caso de prisão ilegal. Por ter ficado preso preventivamente por 741 dias, um homem suspeito de ter participado do caso da “chacina de vigário geral” recebeu R$ 100 mil de indenização do estado do Rio de Janeiro. Os ministros do STJ classificaram o lapso temporal como “amazonicamente” superior ao estabelecido no Código de Processo Penal, que determina o máximo de 81 dias.
No entanto, o montante da indenização pode ser maior, quando a Justiça concede o pagamento por outros irregularidades, como dano material. Num caso de erro médico, por exemplo, a indenização chegou a R$ 360 mil, quando foi reconhecida a culpa do profissional. Já omissão da esposa ao marido sobre a paternidade biológica do filho pode gerar indenização de R$ 200 mil no STJ.
No Acre, uma revista íntima abusiva resultou em uma indenização no valor de R$ 23 mil. O caso aconteceu em 2004, quando a namorada de um presidiário foi visitá-lo no Complexo Penitenciário Dr. Francisco de Oliveira Conde. Ao entrar no presídio, a mulher foi submetida à revista pessoal realizada por policial feminina, após denúncia de que transportava substâncias ilegais. Ela foi obrigada a ficar nua na sala de revista por mais de uma hora, sem qualquer explicação da necessidade do procedimento.
Em seguida, foi levada por viatura da polícia militar, no camburão, ao pronto-socorro local para realização de exames ginecológico e anal, para conferir se haviam entorpecentes em suas partes íntimas. Como tais exames não podem ser realizados no pronto-socorro, a mulher foi encaminhada à maternidade, onde foi submetida aos exames, na presença de uma policial, sendo constatado que a recorrente não portava qualquer substância entorpecente. O Tribunal de Justiça do Acre não aceitou o pedido de indenização por dano moral que só foi concedida pelo Superior Tribunal de Justiça.
novo Código de Processo Civil, em seu artigo 291, determina que o ofendido deve informar o quanto pretende receber a título de dano moral. Contudo, ao final do processo, caberá à Justiça determinar o valor devido, utilizando-se sempre de critérios objetivos para sua fixação, tomando como referência o binômio possibilidade de quem paga e necessidade de quem recebe, ao lado do cunho punitivo-pedagógico da condenação e, notadamente, da repercussão na esfera dos direitos de personalidade de quem foi alvo do dano causado.

Projeto cria 3.000 vagas para novo concurso da AGU !

AGU
Tramita, na Câmara dos Deputados, o projeto de lei 6788/2017, do Poder Executivo, que reestrutura as carreiras de tecnologia de informação e cargos de suporte de atividades tributárias e aduaneiras da Receita Federal. A proposta também busca reestruturar o quadro de pessoal da Advocacia Geral da União (AGU) com a criação de 3.000 vagas, sendo 2.000 para o cargo de analista técnico de apoio à atividade jurídica e 1.000 para a carreira de técnico de apoio à atividade jurídica.
Para concorrer ao cargo de técnico será necessário possuir apenas ensino médio e para analista, curso de nível superior, que poderá ser em qualquer área ou em áreas específicas, dependendo da área de atuação para qual o respectivo concurso for realizado.
A remuneração básica dos técnicos será de R$ 1.749,57, podendo chegar a R$ 2.145,23 no final da carreira. No caso dos analistas, inicial de R$ 2.220, podendo chegar a R$ 3.773,74 para os veteranos.

Vantagens

Além da remuneração básica, os aprovados no concurso contarão com gratificação de desempenho e gratificação específica de apoio técnico administrativo.  Os servidores contarão com até 20 pontos de avaliação de desempenho individual e até 80 pontos para avaliação de desempenho institucional. A soma das avaliações individuais e institucionais serão multiplicados pelo valor do ponto, para então definir o total que será acrescido à remuneração básica do servidor. A jornada de trabalho, para os dois cargos, será de 40 horas semanais.
A proposta foi apresentada no último dia 3 de janeiro e aguarda despacho do presidente da Câmara, o que poderá ocorrer a partir de fevereiro, quando encerrado o recesso parlamentar.

Progressão

Para os técnicos, a carreira contará com quatro classes, com cinco padrões na primeira, seis nas duas seguintes e três na última. A progressão salarial será a seguinte: classe A-I – R$ 1.749,57; A-II – R$ 1.767,06; A-III – R$ 1.784,74; A-IV – R$ 1.802,58; A-V – R$ 1.820,61; B-I – R$ 1.848,91; B-II – R$ 1.866,40; B-III – R$ 1.885,06; B-IV – R$ 1.903,91; B-V – R$ 1.922,95; e B-VI – R$ 1.942,19; C-I – R$ 1.971,32; C-II – R$ 1.991,03; C-III – R$ 2.010,95; C-IV - R$ 2.031,06; C-V – R$ 2.051,37; C-VI – R$ 2.071,88; Especial-I – R$ 2.102,96; Especial-II – R$ 2.123,99 e Especial-III – R$ 2.145,23.
Para os analistas: AI – R$ 2.220,09; AII – R$ 2.282,26; AIII – R$ 2.346,16; AIV – R$ 2.411,86; AV- R$ 2.479,39; BI – R$ 2.553,77; BII – R$ 2.625,27; BIII – R$ 2.698,78; BIV – R$ 2.774,35; BV – R$ 2.852,03; BVI – R$ 2.931,89; CI – R$ 3.019,85; CII – R$ 3.104,40; CIII – R$ 3.191,32; CIV – R$ 3.280,67; CV – R$ 3.372,54; CVI – R$ 3.466,96; Especial I – R$ 3.570,97; Especial II – R$ 3.670,95; e Especial – R$ 3.773,74.  
De acordo com a proposta, a criação das vagas se tornará viável, por não acarretar aumento de despesas para o governo, uma vez que as remunerações corresponderão aos de atuais cargos auxiliares, que serão extintos.  

Concurso ABIN 2017/2018: Novo pedido foi encaminhado !

Resultado de imagem para abin
Cresce a expectativa de abertura do concurso da Agência Brasileira de Inteligência (Concurso ABIN 2017/2018). De acordo com assessoria de imprensa do órgão, desde o mês de outubro foi apresentado junto ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) as demandas e argumentos sobre a necessidade de novos servidores.
Ainda de acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o novo pedido de concurso já foi encaminhado em dezembro ao Ministério do Planejamento por meio de nota técnica. Atualmente o pedido está em análise pelo grupo técnico do MPOG. Os cargos e vagas a serem oferecidos no concurso ABIN 2017/2018 ainda está em fase de negociação, mas o objetivo é que o certame seja autorizado com um número progressivo de vagas.
O último pedido feito pela Agência contou com oportunidades para os cargos de Agente de Inteligência (90 vagas – nível médio), com salário de R$6.147,22, Agente Técnico de Inteligência (110 vagas – nível médio), com salário de R$5.577,73, Oficiais de Inteligência (250 vagas – nível superior), remuneração de R$15.461,80 e Oficial Técnico de Inteligência (200 vagas – nível superior), com salário de R$14.281,28.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

PM/DF: autorizado novo concurso para 2.024 vagas !

PM
Agora é oficial. A Secretaria Estadual de Segurança Pública e Paz Social do Distrito Federal confirmou, por meio de publicação em diário oficial, nesta segunda-feira, 16 de janeiro, a realização do novo concurso público da Polícia Militar do Distrito Federal (PM/DF), aguardada desde 12 de agosto, quando anunciada pelo governador Rodrigo Rollemberg, durante entrevista a uma rede de televisão. Ao todo serão oferecidas 2.024 oportunidades, sendo 2 mil para soldados, seis para soldado especialista músico e 18 para soldado especialista corneteiro.
De acordo com a publicação, no caso de soldado, o concurso será para a contratação imediata de 500 servidores, para ingresso a partir de outubro deste ano. As 1.500 restantes serão destinadas para formar cadastro reserva de pessoal, com o objetivo de suprir a carência de pessoal nas áreas administrativas e operacionais, de acordo com as necessidades.
Ainda conforme a publicação, o concurso já foi autorizado internamente, por meio de liberação do gestor financeiro do fundo constitucional do Distrito Federal.
A publicação também já dá início ao processo licitatório para escolha da banca organizadora que será responsável pela seleção. Determina que as empresas interessadas devem apresentar suas propostas até o próximo dia 25 de janeiro, com abertura das propostas recebidas no próximo dia 30.