sábado, 22 de agosto de 2015

MTE: servidores farão greve por concurso de auditor

Ministério do Trabalho
Desde o ano passado, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) aguarda o aval do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para abrir um concurso públicocom 847 vagas de auditor-fiscal do trabalho

A demora na liberação da seleção preocupa os servidores do MTE, que ficam sobrecarregados com a falta de profissionais no órgão e a alta demanda de trabalho. Sendo assim, a categoria iniciará na próxima segunda-feira, dia 24 de agosto, uma paralisação por tempo indeterminado com a intenção de pressionar o MPOG a conceder a autorização do concurso o quanto antes.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) afirma que a realização de um novo processo seletivo para a contratação de auditores-fiscais do trabalho é uma das pautas prioritárias de reivindicação da categoria.

O sindicato também informa que as 847 vagas solicitadas eram suficientes para atender os cargos vagos na época do pedido. No entanto, agora, a necessidade do órgão aumentou e o déficit é de 1.100 servidores na carreira de auditor-fiscal do trabalho, que tem 3.644 postos criados.

Além disso, "cerca de 400 auditores-fiscais podem se aposentar imediatamente, se quiserem. Já estão recebendo Abono Permanência. E há mais algumas centenas que estarão em condições de se aposentar dentro de poucos meses. Portanto, a situação é gravíssima. A carreira precisa urgentemente de concurso público para completar o quadro", declara o Sinait.

A falta de profissionais no Ministério do Trabalho e Emprego afeta, além dos servidores, a sociedade e o próprio governo, pois diversos serviços ficam comprometidos. A fiscalização ao recolhimento do FGTS, bem como o combate a sonegação do imposto e à informalidade são prejudicados, favorecendo irregularidades e interferindo na arrecadação da União. 

Outros problemas que podem ocorrer devido ao déficit de servidores é o aumento dos acidentes de trabalho e a fragilização do serviço de combate ao trabalho escravo e infantil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário